Minha Visão sobre Salas VIP #1 - Desmistificando o Acesso

#salasvip

Boa tarde a todos!

Existem milhares de textos e vídeos na internet sobre salas VIP, e várias dezenas especificamente sobre a sala da Star Alliance no Aeroporto de Guarulhos, por exemplo.

Mais do mesmo então?

Não exatamente, meu foco será uma comparação entre pagar a entrada ou esperar fora do aeroporto. Logicamente há algumas maneiras de obter acesso gratuito a essa sala e nesse caso vale a pena chegar bem cedo no aeroporto para ficar um tempo nela, mas isso geralmente envolve status ou no banco ou na companhia aérea, então vou focar na parcela da população que nunca viajou ou viajou pouco e muitas vezes nem tem cartão de crédito.

Eu vejo que existe uma barreira fictícia muito grande e que já vi impedir muita gente de realizar a viagem dos sonhos. Isso ocorre, em parte, por que grande parte das informações disponíveis na internet não refletem a realidade da população. Lendo alguns textos parece até fácil viajar internacionalmente de executiva, ou acessar salas VIP no mundo todo.

Esse nível de banalização do luxo inibe um pouco a pessoa comum, que juntou dinheiro por anos para viajar com sua família para o exterior. Pessoalmente eu já ouvi relatos de pessoas que nunca viajariam internacionalmente por ser muito caro e difícil. Não é nem um nem outro, e é exatamente por isso que eu comecei esse blog. Minha primeira viagem internacional foi com salário de estagiário, quero que minha experiência ajude o maior número de pessoas a tirar o sonho do papel, pois em minha opinião não existe experiência melhor que viajar, independente do luxo, do tipo de passagem, viagem é viagem.

Recentemente, em uma viagem de São Paulo a Aracaju, me deparei com uma pessoa, acredito que nos seus 40 anos, que viajava pela primeira vez na vida. Acompanhei todo o processo de perda do medo de voar e a transição do medo e insegurança para a emoção. Foi um momento especial, para a pessoa e para mim também, e gostaria que todos tivessem a experiência de viajar, independente da idade, do destino, do dinheiro disponível.

Grande parte dos relatos na internet (sem desmerecer nenhum deles, cada um tem seu público alvo) apenas descrevem a sala ou até comparam com outras, mas não há um foco específico na grande parcela da população que viaja pouco ou até mesmo irá viajar pela primeira vez, a parte da população que muitas vezes nem sabe o que é uma sala VIP. Como esse público é exatamente o foco do meu blog, seria injusto desconsidera-los quando o assunto é sala VIP, que geralmente é associada a viajantes mais experientes e/ou frequentes e a um certo status que distingue a nata dos que viajam.

Não é nada disso e sim, as salas são, de certa forma, acessíveis a todos. Nesse caso aplico minha óptica (esse "p" pode causar estranheza, mas ótica se refere a ouvido e óptica à visão) de que visitar uma sala VIP não é um bônus por ter alta renda, mas sim um passeio, que, assim como uma entrada a um teatro ou museu, pode ser adquirido por qualquer pessoa para desfrutar de uma experiência nova e até conveniente em situações de viagem.

Primeiro vamos ao preço e às formas de entrada disponíveis para a maioria das pessoas, leia-se: pessoas que não tem um cartão Mastercard Black, Visa Infinite ou Amex The Platinum Card.

Vou listar 4 forma de obter acesso às salas VIP, nesse caso utilizando como exemplo a sala da Star Alliance no aeroporto de Guarulhos (GRU). Estou considerando também apenas viagens nacionais para minha análise, tendo em vista que são muito mais comuns e frequentes que viagens internacionais, mas vou abordar as internacionais mais para frente em um post consideravelmente mais trabalhoso que está exigindo muita pesquisa e coleta de dados. Eventualmente volto a tocar nesse assunto.

1. Pagar a entrada avulsa

A entrada avulsa, direto no balcão da entrada da sala, custa 70 USD (equivalente a aproximadamente 246 BRL na cotação de 04/05/2018), um pouco (ou bastante) salgado o preço, mas já coloquei o maior valor logo de cara para diminuir depois.

2. Lounge Buddy

Pode ser acessado tanto pelo site https://www.loungebuddy.com como pelo aplicativo homônimo.

A entrada à sala VIP é vendida pelo Lounge Buddy por 180 BRL, consideravelmente mais barato que os 70 USD.

3. Cartão de Crédito Diners

É verdade que não estou focando esse post em quem já tem acesso ou conseguiria acesso através dos cartões mais exclusivos dos bancos, pois está disponível apenas para uma pequena parcela da população e as anuidades muitas vezes passam de 1.000 BRL, ou seja, é muito dinheiro apenas para anuidade de cartão.

Contudo, há uma opção que é relativamente acessível, o cartão Diners Club.

Esse cartão está disponível em duas versões, mas vou me ater à de entrada, que possui anuidade mais barata e é acessível para grande parte da população, sem a necessidade das rendas obscenas dos cartões premium, que chegam a exigir um salário mensal de 25.000 BRL.

Para solicitar o cartão pode entrar em contato por telefone (4004 2484 ou 0800 701 2484) ou online no endereço www.diners.com.br.

A anuidade do primeiro ano é 180 BRL e permite o acesso à sala VIP Star Alliance no aeroporto de Guarulhos mediante pagamento de uma taxa de 60 BRL. Somando as duas despesas (anuidade e acesso) paga-se um total de 240 BRL, mais caro que o Lounge Buddy. Vale lembrar que o valor da anuidade nos anos seguinte pode ser negociado, muitas vezes se mantendo igual ao valor do primeiro ano.

Não analisemos, no entanto, por essa óptica, pois se eu utilizar mais uma vez qualquer uma das salas VIP cujo acesso é garantido pelo cartão Diners a um custo de 60 BRL em aeroportos nas cidades de Belém, Brasília, Campinas, Curitiba, Manaus, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, tenho 2 acessos pelo preço total de 300 BRL, se tornando a forma mais barata de acessar uma sala VIP no Brasil.

Os cartões adicionais também não tem anuidade no primeiro ano (e geralmente pode-se negociar a continuidade dessa isenção), portanto se 2 pessoas utilizarem 2 salas VIP tem-se um total de 420 BRL por 4 acessos, ou seja, 105 BRL por acesso à sala, fora que ainda tem acesso a um cartão que dá milhas para cada dólar gasto, além de seguro viagem e outros benefícios.

4. Priority Pass

Esse é o método que menos gosto, pois é o mais difícil de compensar.

O Priority Pass, que é uma espécie de clube de salas VIP e permite acesso a mais de 1.000 salas VIP no mundo todo, possui 3 planos de associação que basicamente, dependendo do valor pago na anuidade, incluem acessos gratuitos a salas VIP ou a um preço de 27 USD.

Compensa aderir ao Priority Pass?

O plano STANDARD eu diria que dificilmente vai compensar, pois 27 USD equivalem a 95 BRL, que com markup do cartão e IOF facilmente chegam a 106 BRL, ficando mais caro que o Diners se realizar 4 visitas a salas VIP no ano, o que não é muito difícil.

O plano STANDARD PLUS, considerando que irá visitar 10 salas VIP em 1 ano, tem um custo aproximado de 87 BRL por visita, nesse caso não irá ficar longe do Diners, que terá um custo de 78 BRL com os mesmos 10 acessos no ano. A vantagem do Priority Pass é que possui mais salas que o Diners, inclusive em cidades e aeroportos que este não concede acesso, como por exemplo em Recife.

O plano PRESTIGE é o que mais tem potencial para compensar mas para isso tem que viajar muito, é mais para pessoas que viajam bastante a trabalho e utilizam aeroportos com sala VIP inclusa do Priority Pass. Se acessar 20 salas em 1 ano o valor de cada acesso sai em torno de 72 BRL, o que significa viajar pelo menos 10 vezes utilizando salas VIP na ida e na volta ou até menos que isso se utilizar as salas em conexões.

E o acesso ao viajar de classe executiva?

Não estou considerando a classe executiva porque, primeiro, é muito mais caro que viajar em econômica, chegando a custar 3 ou 4x mais caro, e eu acredito que a grande maioria da população não está com esse dinheiro sobrando no momento; e, segundo, estou considerando apenas voos nacionais que possuem no máximo a economy plus. Novamente, quem viaja de executiva provavelmente já tem um cartão exclusivo e outras formas de conseguir acesso às salas.

Concluo, portanto, meu post inicial sobre salas VIP.

Já relatei o custo e futuramente irei descrever as que eu visitei recentemente para que cada um decida por si se vale a pena investir nesse "passeio" durante sua próxima viagem.

#salasvip #viagem #dica

POSTS RECOMENDADOS