Planejamento de Viagem #1 - Parte 1 - Escolha do Destino

&planejamento1

Boa noite!

Já deixei lá em cima o marcador dessa série, para facilitar encontrar todos os posts, basta clicar nele que será direcionado para a série completa, que no momento consiste somente nessa Parte 1.

Vou começar com uma pergunta simples, porém complicada:

Qual a primeira coisa que você faz ao acordar?

Salvo algumas exceções, sempre há exceções, a primeira coisa que você faz é, no limite da obviedade, abrir os olhos. Lógico!

Então qual a primeira coisa que você deve fazer para planejar uma viagem??

Exato, você deve escolher um destino para ir, se pensou em qualquer coisa além disso então volte um passo para trás e primeiro gaste um tempo, que seja minutos, dias, semanas, até meses (não demore anos!!!) escolhendo o destino ideal para você.

Estou escrevendo um post para uma coisa tão simples, só para escolher um destino. É simples, certamente, mas de forma alguma é de importância irrelevante, muito pelo contrário, essa decisão irá balizar todo o planejamento que virá nos próximos passos e é uma decisão para a qual dificilmente terá volta. Pense, portanto, com muito carinho antes de definir onde será o destino da sua próxima experiência.

A primeira coisa que quero deixar claro é, da mesma forma que seu amigo, tio, primo, irmão, tem um Gol e você prefere um Sandero, seja por gosto pessoal, preço, facilidade de encontrar concessionária, dentre muitos outros fatores, existe uma viagem que se encaixa mais ou menos na situação de cada indivíduo. O carro que atende meu vizinho não necessariamente é o carro que me atende melhor, por que com viagem seria diferente?

Todo ano somos bombardeados com pessoas, tendo as redes sociais como facilitadoras, contando como foram maravilhosas as experiências que tiveram em sua última viagem. Junto vem uma enxurrada de fotos maravilhosas (lógico, ninguém escolhe as centenas de fotos ruins para postar, só na minha última viagem tirei 30.000 fotos) e passamos a nos encantar pela experiência sem que analisemos o destino e as implicações envolvidas para realizar similar viagem.

Filtre e analise criticamente todas essas informações, use como ponto inicial para pesquisar um pouco mais sobre o destino em questão, principalmente se você só descobriu que certo lugar existia porque um conhecido postou algumas fotos de lá. Depois leia relatos em blogs de viagem, compre um guia de viagem, leia uma revista ou até mesmo veja reportagens disponíveis para o destino de interesse. Pesquise, como você pesquisaria se fosse comprar um carro, afinal, às vezes os valores até se equiparam.

Ao longo de sua vida vá montando uma lista, deixe um espacinho reservado aí na sua memória (ou em um .txt no seu computador), com os destinos que tem vontade de conhecer, quanto mais opções tiver mais fácil conseguirá aproveitar uma oportunidade quando esta se oferecer diante dos seus olhos.

De acordo com o mapa mundi que encontrei existem 50 países no mundo... brincadeira... não podia perder a piada, demorei alguns anos para perceber que o tabuleiro de War não representa o mapa geopolítico com acurácia.

Também não está muito claro quantos países existem no mundo, portanto vou tomar como parâmetro a ONU, que reconhece 193 países. Tirando os que eu já conheço e não pretendo voltar, além dos que não tenho vontade de conhecer, principalmente pela falta de segurança, eu devo ter pelo menos uns 120 países na minha lista de desejos, o que é muito bom, se aparecer qualquer oportunidade eu compro um bilhete.

Recentemente apareceram passagens para Assunção, no Paraguai, por 4.200 milhas o trecho, perfeito, não conheço ainda e já emiti minha passagem. Ou quando apareceu passagem para Paris por R$ 1.000, também aproveitei. Em outra ocasião a Lufthansa liberou as raríssimas passagens de primeira classe para emissão com milhas, ou mesmo a possibilidade de usar milhas Smiles para emitir trechos em executiva da Qatar.

Por experiência eu digo, são várias as oportunidades que aparecem ao longo do ano, quanto mais preparado você estiver melhor conseguirá aproveita-las.

Divaguei um pouco do cerne desse post, então vou voltar para a escolha do destino, partindo do pressuposto que você tem uma lista mínima de destinos almejados.

O próximo passo é escolher um deles para a próxima viagem (que será usada como exemplo para essa série, um exemplo real meu).

Basicamente se escolhe um destino, que pode ser desde um final de semana em um hotel-fazenda ou uma viagem de um mês inteiro pela Ásia, com base em dois fatores principais:

A sua viagem deve se encaixar tanto no orçamento disponível quanto no tempo disponível, não adianta você ter R$ 50.000 para viajar para a Ásia se dispões apenas de 2 dias, não dá nem tempo de ir e voltar de lá. Dá mesma forma que não dá para ir com apenas R$ 500.

Definido o rol de viagens que se encaixam no tempo e orçamento disponíveis, faculta-se a espera de uma oportunidade. É facultada essa última parte porque a qualquer momento você pode comprar passagem para o destino que já definiu, ou pode selecionar algum destino e comprar para o primeiro que tiver passagem pela metade do preço.

A oportunidade é o que eu considero wildcard, ou fator errante, que pode dar uma guinada no seu planejamento orçamentoXtempo.

Vamos então ao caso real:

Tempo disponível: 3 dias

Orçamento disponível: R$ 1.000 por pessoa

Seria uma viagem perfeita para Monte Verde/MG, onde haveria um gasto de R$ 400 com transporte, R$ 600 em 2 diárias de hotel e R$ 750 com refeições e mercado, todos os valores para 2 pessoas. Ou seja, o orçamento está bem folgado.

Mas tem outros destinos disponíveis, que tal um internacional?

Pois bem, eis que se apresentou uma oportunidade, que foi justamente o fator decisivo para a confirmação da viagem.

Consegui emitir passagens para Assunção por 4.200 milhas Smiles/trecho, voando Gol, empresa na qual tenho alguns benefícios de categoria, como embarque prioritário, bagagem sem custo e assentos mais espaçosos sem custo.

As taxas de embarque foram R$ 267,54 por pessoa, totalizando R$ 535,08. Precificando o total de 16.800 milhas é possível dizer que as duas passagens custaram um total de R$ 1.039,08.

Por que isso foi uma oportunidade?

O preço para a mesma passagem, mesmo voo, comprado com dinheiro custaria R$ 1.891,24 para 2 pessoas.

E o preço mais baixo, com 2 escalas, era R$ 1.469, mas duas escalas para um voo de 2h não dá né.

Mas a viagem se encaixa no orçamento?

Para definir se realmente iria emitir os bilhetes eu reservei sem custo por 3 dias, mais um benefício da categoria, e pesquisei por cima o custo das coisas, estimando (beeem por cima) o seguinte:

  • Hotel: R$ 400

  • Transporte: R$ 200

  • Alimentação: R$ 450

Considerações: Seguro viagem o cartão de crédito irá me fornecer sem custo e o jantar no dia da ida será sem custo na sala vip no aeroporto de Guarulhos.

Total da viagem: R$ 2.089,08.

Vou considerar esse pequeno estouro de R$ 89,08 como oportunidade de conhecer outro país. Fora que eu posso tentar economizar com refeições e deslocamentos para encaixar no limite de R$ 2.000, mas para uma viagem internacional até que não ficou tão ruim.

Vale lembrar que eu não reservei nada ainda, nem sei quais hotéis estão disponíveis, isso será feito nas próximas partes desse planejamento.

Ficou um post meio longo para um assunto tão simples, mas eu queria mostrar o peso dessa decisão inicial em todo o planejamento da viagem, se fosse pela lógica eu teria ido para Monte Verde e não teria a oportunidade de conhecer mais um país (e raspar o meu mapa, sobre o qual irei falar em breve).

Nem sempre é simples escolher o destino de sua viagem, e muitas vezes os parâmetros que temos são as viagens dos outros, então esqueça todas aquelas fotos bonitas do Instagram e passe a pensar no que é melhor para você, para assim ter certeza de que será a melhor experiência possível, uma recordação memorável para o resto da sua vida.

Comece a planejar e se joga na viagem!

#planejamento #viagem #ajuda #planejamento1

Posts Relacionados

Ver tudo
POSTS RECOMENDADOS